Predominância Muscular 1

 

 

Na semana passada mostramos que se um determinado músculo esquelético ou um conjunto deles num organismo for composto com predominância de um tipo de fibra muscular, esse indivíduo terá vantagens constitucionais em esportes no geral, em especial, naqueles de alto rendimento.

           

Vamos começar a detalhar melhor o que realmente significa uma predominância. Nenhum exemplo pode ser melhor que o coração.

           

O coração dentre todas as maravilhas do corpo humano destaca-se por sua função vital de manter a vida, não parar jamais durante toda nossa jornada. Pois bem, o músculo cardíaco é um músculo estriado involuntário e histoquimicamente composto exclusivamente por fibras do tipo I somente!

           

Essas fibras com suas proteínas contrácteis principais actina e miosina são incansáveis! Na microscopia óptica e eletrônica percebe-se uma incrível diferença em relação às fibras do músculo esquelético. Elas não podem ser reconhecidas como células ou fibras únicas, ou seja, não há limites celulares nítidos configurando uma imagem sincicial!!! Para espanto dos cardiologistas nós patologistas musculares podemos afirmar categoricamente que todo músculo cardíaco ou todo o miocárdio é um sincício, portanto único, ou seja, formado por UMA ÚNICA CÉLULA! A outra diferença fundamental é que no coração existe um sistema de inervação dessa massa muscular conhecida pelo nome de fibras musculares especializadas de Purkinje. Dessa forma compreendemos que uma lesão muscular distante dessas fibras não compromete em absoluto o batimento cardíaco.

           

Com certeza o coração é a máquina mais perfeita da natureza. Entende-se que se houvessem fibras do tipo II em meio ao miocárdio a fisiologia do órgão seria prejudicada.

           

É maravilhoso, após uma viagem, voltar ao Brasil.

Até a semana que vem se Deus quiser.

 

Abraço.

Dr. Beny Schmidt

  

Please reload

MANDE SUA MENSAGEM

Desenvolvido por Mais Comunicativa.